terça-feira, 29 de abril de 2014

***A POESIA***

***A POESIA***

Esta pairando no ar,
Na brisa leve a soprar,
Nas ondas do mar a bater,
No nascer do sol.

Pode ser vista e ouvida,
No movimento das ondas do mar,
Que emite seu som;  chua... chua,
É a natureza a nos agraciar.

No anoitecer, a nos entreter,
Com a lua e brilhando,
Noutras temos a visão,
De estrelas e sua constelação.

Na poesia temos presente o sentimento,          
Exalta-se a beleza,o amor e a flor,
Falar-se da dor, do sofrer, da ausência da cor,
E como ironia, na poesia, a infelicidade tem seu momento.

Ela pode ser pobre, rica e até preciosa,
Linda, feia, recatada ou atrevida,
Penso, o é importante que seja lida.

*****Claudio Leite*****       
*****29-04-2014*****                    

VIVER SEM AMAR!

VIVER SEM AMAR!
Viver sem aproveitar a vida,
Viver passando pela vida,
Sem ter uma causa, 
Sem incorporar uma luta, 
Sem ter um propósito,
Perdoem- me, mas isso não é viver,
É um arremedo de vida,
Nem mesmo uma sobrevida,
Uma trajetória parecida,
É não estender a mão,
É não ter opinião,
É parecer à parte enfraquecida,
Lambendo a própria ferida.
É ver a banda passar,
É ouvir a música tocar,
E nunca querer dançar,
É o temor de ousar,
De se aventurar,
De se arriscar,
De disponibilizar,
É Não ter nenhuma disposição,
Não sentir o calor da uma nova emoção,
Não se entregar em uma relação,
Não sentir nenhuma motivação,
Nada ter que anime o coração


*****Claudio Leite*****
*****27-04-2014*****

sábado, 26 de abril de 2014

***TODO*** DIA***

***TODO*** DIA***

Todo dia,
A vida nos permite,
Sair da mesmice,
Ultrapassar o limite,
Encontrar a alegria,
Buscar uma chance,
De melhorar a realidade,
De encontrar a felicidade.
Então; Bom dia!!!!
Claudio Leite 26-04-2014

sexta-feira, 25 de abril de 2014

*****Q U E R I A*****

*****Q U E R I A*****

Queria que o sol voltasse a brilhar,
Pois tenho medo da tempestade,
Queria que fosse dia e não que fosse noite,
Queria que fosse noite estrelada e não uma noite escura,
Queria que tivesse alegria de crianças e sua algazarra,
Queria que chovesse, mas não que inundasse,
Queria calor e frio, sem ninguém no desvio,
Queria ver a flor desabrochar e nunca te ver chorar,
Queria ver a sua felicidade e jamais sentir saudade.
Queria ser e ter o seu amor,  esta é a  de verdade.


*****Claudio Leite. 26-04-2014*****

*****T E N T A T I V A S *****

*****T E N T A T I V A S *****

Tentando não lembrar,
Tentando não recordar,
Tentando não pensar,
Tentando não olhar,
Tentando não ligar,
Tentando não teclar,
Tentando não chorar,
Tentando não parar,
De tentar...
Tento acreditar,
Tento recomeçar,
Tento enxergar,
Tento imaginar,
Tento criar,
Tento respirar,
Tento encontrar,
Tento continuar,
A  amar...
***Cláudio Leite***
***26-04-2014***


O que houve?

O que houve?
Decididamente,
Não tivemos uma passado,
Não teremos um futuro,
Não temos nada no presente.

Definitivamente,
Tudo fica revelado,
Nunca estiveste ao meu lado,
Tudo foi sonhado e imaginado.

Determinantemente,
Nada perdeu a relevância,
Nada ficou sem importância,
Entre nós, não havia consonância.

Claudio leite - 25-04-2014

quinta-feira, 24 de abril de 2014

POEMIM 1

Despertar,
Valorizar,
Aproveitar,
Oportunizar,
Enquanto,
Dá. 

***Claudio Leite***24-04-2014***

ACRÓSTICO


ACRÓSTICO
Rainha!
Incrível é o
T amanho de seu
Amor.

Guiou-nos, 
Unidos com 
Imenso e infinito 
Modo de
Amar e
Reproduziu em nós a
Amizade,
Esperança e outros
Sentimentos bons.

Lembre-se que
Estes seus filhos,
Irmãos,
Também
Estão contigo, te amam e festejam seus 73 anos.

****CLAUDIO LEITE****24-04-2014****

PARABÉNS MAMÃE!

24 de abril de 2014,
D. RITA GUIMARÃES LEITE!
Hoje é o seu aniversário,
Para nós um grande momento,
Repleto de símbolos e alegria,
Agradecemos a DEUS esta felicidade,
De tê-la ao nosso lado todo dia,
De podermos comemorar 73 anos de idade,
Com saúde,força,coragem e lucidez, ,
Permita-nos ó DEUS,
Em outras oportunidades,
Festejarmos uma outra idade.
Parabéns!!! Mãe!!!
FELIZ ANIVERSÁRIO MAMÃE!!!
CLAUDIO,CARLOS, CELSO E CÉLIO,
AMOR ETERNO!!!

terça-feira, 22 de abril de 2014

**COM AS AMARRAS**.

**COM AS AMARRAS**.

Tu não és livre e eu também não sou,
Eu te quero mais que tudo,
E tu só dizes que é um engano,
Pois me vê como amigo,
Que passar disso é um grande erro,
Dizes que não quer me ofender e magoar,
E eu só quero te amar e, livremente,  poder,
Passear, andar de mãos dadas, poder te abraçar,
Acariciar, beijar, isso, mesmo, namorar,
Deixando que vejam e que não precisamos esconder,
Esse sonho, essa utopia  esse amor que queremos viver,
Apesar da ironia e da peça que a vida nos pregou,
Ao nos apresentar em momentos confusos e difíceis!
Em que variadas forças atuam em contraio, são verdadeiras amarras,
Que causam indagação no dia a dia, o que fazer? Como fazer?
Se devo fazer?  E você vai querer tudo romper? Fico inerte sem saber o que irei fazer?
Entretanto, uma pequena alegria, poder te ver todo dia,
É uma causa de agonia, apenas  te olhar e por vezes nem poder falar,
Busco o equilíbrio para não falar tudo que guardo em meu peito,
Já não vislumbro uma oportunidade qualquer,
Só tenho motivos para desistir e esquecer,
Antes que alguém mais venha sofrer,
Por um amor que não obteve espaço para crescer,
De vez que em um só campo ele foi fecundo e fixou raiz,
No outro, ele brotou, mas não cresceu, veio a perecer,
Então tentar, insistir e continuar vai fazer um e outro mais infeliz.


***CLAUDIO LEITE ***21-04-2014***

***MOTIVO***

***MOTIVO***

Vivo hoje para te ver,
Sonhando com o dia
Em que eu possa ter,
Que eu possa merecer,
Estar com você.

No dia em que poderei,
Saciar o desejo,
Iniciando com um beijo,
Que há tanto almejo.

E podendo amar, 
Sem medir e dosar,
O momento e o tempo,
Partilhando carícias e sentimento.

Nessa recíproca entrega,
Bebemos o néctar do prazer,
Sem medo, sem culpa e sem desculpa,
Do que possa acontecer,
Apenas, aproveitando, para amar e viver...
Claudio Leite ***21-04-2014***

REDES SOCIAIS

REDES SOCIAIS

A quem atendem?
O que pretendem?
Pode-se dizer que tem utilidade,
Por elas, se comunica com facilidade.

É mais um fruto da globalização,
Em que tudo que acontece,
Não importa a cidade e sua localização,
Em minutos, talvez segundos, a notícia se recebe.

Muitos criticam pelo uso que é delas feito,
Para vigiar, espionar e até mesmo, fofocar,
Mas não há inovação que não apresente defeito,
Sejam reais  ou inventadas, muitos só sabem criticar.

Muitas são as possibilidades,
Que as redes trazem todo dia,
Como deixar de perceber as qualidades,
Desta inovadora tecnologia.

Que é uma grande inovação,
Bem usada, atende bem a educação,
A medicina, o Direito e nas diversas ciências,
Nas comunicações dos pequenos com as potências.

Saber, que é Importante ter em mente e não esquecer,
Que em um espaço aberto e público, nem tudo se pode dizer,
Mas vale saber usar e se proteger, sabendo dosar para não se perder,
Tendo cuidado com o que fala, com quem fala, compartilha e posta,
Este proceder é uma importante maneira de se proteger.


***Claudio Leite***22-04-2014*** 

***É VOCÊ***

***É VOCÊ***

É Incrível .
O efeito que você deu causa,
Despertando em um homem,
Mais que atenção,
Gerando uma alucinação,
Uma tórrida sensação,
De que não vivo em vão.
No calor de um momento,
Nasce,
Talvez,
Um forte sentimento,
Ainda não identificado,
Que é causa de tormento,
Decorrente do momento,
Da dúvida,
Quanto à reciprocidade,
Pois pode ser rotulado,
Quanto a sua oportunidade,
Em decorrência da amizade,
Se nos trará felicidade,
Se existe incompatibilidade,
Haverá mesmo essa possibilidade?
Poderá ser afirmado?
E realizado?
Ou, por outro lado,

Apenas, idealizado.

Claudio Leite***22-04-2014***

segunda-feira, 21 de abril de 2014

***T O R M E N T O***

***T O R M E N T O***

É um a verdadeira bagunça,
Já não sabe que caminho seguir,
Tudo na vida esta exigindo uma mudança,
Mas se permanece inerte, sem saber para onde ir.

É intrigante e surpreendente a alteração promovida,
Por um novo sentimento, que não se havia percebido,
Mas, Por não ser correspondido, acarreta só sofrimento,
E pode ser causa de dor e lamento, por muito tempo.

Neste estado e condição não se deve permanecer,
Já que não se vislumbra um progresso para a relação,
Não seria melhor deixar de lado e esquecer?

Em uma relação, se apenas uma das partes nutre o sentimento,
E a outra não compartilha e ainda evita o relacionamento,
Seria melhor desistir, se afastar e evitar mais dor e sofrimento?


CLÁUDIO LEITE***20-04-2014

sexta-feira, 18 de abril de 2014

ATIVIDADE

ATIVIDADE


É imensa a minha ansiedade,
Uma sede que quer saciedade,
Um desejo maior que a realidade,
Que não vê nenhuma possibilidade.

Tudo é uma grande vontade,
Sem um sinal de reciprocidade,
Nada que crie uma proximidade,
Para que se forme uma sociedade.

Então, como chegar à felicidade?
Sem violentar a própria integridade,
Mantendo um mínimo de dignidade.

Obtendo uma relação de lealdade,
Em que não se assombre com a falsidade,
Um amor de verdade, que não seja só amizade.


Claudio Leite****19-04-2014

UMA VISÃO NEFASTA


UMA  VISÃO  NEFASTA

Dentro de mim percebo uma grande mudança,
A violência é algo que já não mais me causa horror,
É como se a vida ficasse banal e sem esperança,
Numa situação que revidar a ofensa é quase um favor.

Essa singular alteração no modo de ser e até no comportamento,
 Determina uma atitude audaciosa, astuciosa e importante,
Já não mais se admite a derrota e o derrotado, vencer é o intento,
Nada é mais importante do que vencer, só a vitória é relevante.

Neste mundo de extrema velocidade e ferocidade global,
Com o homem individualizado, sem identidade e massificado,
Levado por um consumismo nefasto, que levará a ruína final.

Não só do que é ético e ligado ao bom conceito de vida social,
Mas a falência de toda forma de vida, com a destruição do manancial,
Exaurindo toda possibilidade de vida vegetal e animal. Isso é um mal.


   Claudio Leite ***18-04-2014

quarta-feira, 16 de abril de 2014

UMA NOITE




UMA NOITE

Ainda hoje, me vejo a pensar e cogitar,
No que você afirmou sobre a noite que teremos,
Mesmo repleto de curiosidade, com receio, não ousei indagar,
Quando isso acontecerá e o que nos permitiremos?

Essa incerteza esta na minha mente,
Enchendo-me de dúvidas e ansiedade,
Pois quero contigo estar, continuamente,
Ao saber e poder ver que escolhias com liberdade,
O momento de nos permitir essa grande felicidade.

E poder ver que fizeste tua escolha livremente,
Envaidece, alegra e deixa- me muito contente,
Pois a tua atenção, dedicação, afeto e carinho,
São benesses ansiadas e a almejadas,
Há tanto tempo esperadas, disputadas e quase alcançadas.

Coroando este grande e acalentado sonho de amor,
É que penso e busco descobrir qual é o tom e a  cor,
Com que eu possa as minhas roupas e trajes enfeitar,
Para este sonhado momento, em que o seu amor,
 Eu poderei, em fim, receber, sentir e desfrutar.


Claudio Leite***16-04-2014

Um Verso

Um Verso

Queria fazer uma poesia,
Que não fosse vazia,
Que não falasse de dor,
Que exaltasse a beleza e o amor.

Queria conseguir escrever,
Um Verso que seja bom de ler,
Que traga paz ao seu dia,
Que te faça sorrir e traga alegria.

Que neles se encontre a ousadia,
Que se encontra na juventude,
E não falte incentivo e coragem,
Que se possuem homens de atitude.

Queria que fosse uma poesia,
Que desse ânimo e inspiração,
Que fosse como uma brisa ao raiar do dia,
Que a pele arrepia e acelera o coração.

E todo amor em nada resultará,
Se não houver uma forte amizade,
Uma relação de grande fraternidade,
Uma mudança no sentido de humanidade.


Claudio Leite 14-04-2014

CADÊ O AMOR?

CADÊ  O AMOR?

Ouvi dizer que o amor morreu,
Como se deu?
O que aconteceu?
Ninguém falou,
Ninguém ousou,
Esclarecer e responder.

Vi muitos passando,
Outros tantos vagando,
Pareciam estar procurando.
Algo que não mais estão encontrando.

Procuram um amor que passou?
Um amor que perderam,
Se assim for, devem continuar nessa busca,
Ou, tentar nova opção, será que outro amor assusta?


Não, um antigo, um novo ou, outro amor,
É fonte de animação e de libertação,
Não há como fugir, nem mesmo como se esconder,
Quando menos se espera, surge o amor e passa a te envolver.


Claudio Leite***16-04-2014 

domingo, 13 de abril de 2014

ESSA NOITE

ESSA NOITE

Conversamos ao entardecer,
Constatei a mesma fome,
Quase uma necessidade,
Que subsiste buscando saciedade.
O tempo passou desde que o fogo iniciou,
Ainda assim não apagou a chama,
Que queima e gera um calor abrasador,
Que me consome e por ti clama,
Que alimenta e fomenta o desejo,
 De contigo dividir o corpo e calor,
 De receber seu carinho e seu beijo,
Ensandecidos e encharcados de amor,
Sem perceber o tempo correr,
Amando e vivendo o prazer.

 Lendo o que sua mensagem diz:
Vibro de intensa alegria,
E a mente já fantasia,
 A grande felicidade, acontecerá, será verdade?
 O esperado momento,
Será um acontecimento,
Já acho que esta demorar,
Pois, quero-te por toda essa noite,
E que ela passe bem devagar. 

Cláudio Leite***13-04-2014


NOITE ESTRANHA.

NOITE ESTRANHA.

É noite, vem, acompanha,
Fique bem, não estranha,
E a barba por fazer,
Não repara, que aranha,
Bom, que nos assanha.

No toque da pele e de corpo, um fato,
Capaz de criar mais que um contato,
Nesta união de odor, suor e calor,
Temos o afago, o carinho, um toque de amor.
O momento de tirar proveito,

Poder dividir o leito,
Para em seu corpo encostar,
Em seu calor me aquecer e queimar,
E loucamente te amar.

Afinal, como deixar de te querer?
Sair desta onda que arrasta e balança e puxa,
Afastar a forte emoção que esta a nos envolver,
Se a bem pouco, passamos a nos conhecer.


CLAUDIO LEITE***06-04-2014

sábado, 12 de abril de 2014

DIALOGO

SORVER

Palavra com que Hélcio nos desafia,
A escrever uma poesia,
Dou uma humilde contribuição,
Com modéstia, ante os poemas que li até então.

DIALOGO

Sou de conversar,
Gosto de ouvir,
E, igualmente, de falar.
Em todo e qualquer lugar,
Seja em casa,
Seja no bar,
As palavras,
Gosto de sorver,
Bem devagar,
Sem que me apressem,
E sem fazer esperar.
Em alguns momentos,
Gosto de sorver atenção,
Não pela força e presença,
Mas pelo argumento em questão,
Desde que importe e faça a diferença,
Naquilo que a maioria pensa.

 Claudio leite ***12-04-2014




Pedaço da Conversa


Pedaço da Conversa

Pensando no amor que tenho
Pela vida e por você,
No que poço e devo fazer,
Quando e como proceder,
Para não ficar o dedo a sorver.

É uma mulher linda e bem falante,
Que outros te admiram, estou informado,
Alguns, conquistar tentaram insinuantes,
 Mas pelo que sei só um foi agraciado.

Então, quando estamos a falar,
Basta o assunto engrenar e esquentar,
E o nome do agraciado é invocado, suscitado,
Como uma fuga quanto ao que é conversado.

Deste modo, a vida estou tocando,
Sem desespero, sua promessa, sigo aguardando,
Numa noite meu momento chegará,
Para realizar plenamente o desejo de te amar.

Claudio Leite***12-04-2014





quinta-feira, 10 de abril de 2014

SEM CHÃO

SEM CHÃO

Eu ouvi,
O que você falou,
Parece um adolescente,
E não entendi,
O motivo que tanto te fez rir,
Então, curioso, indaguei?
E da resposta não gostei,
Ela foi firme e serena,
Uma palavra bem pequena,
Um rotundo e sonoro NÃO,
Daqueles que tiram e deixam sem chão,
A quem tenha a pretensão,
De buscar uma aproximação,
Movido por desejo e paixão,
Envolvido e cheio de ilusão,
Perde a noção, alguns, a razão, 
Não mais sabe onde fica o chão,
Quer partir e sair,
Mas não sabe para onde ir,
Nem o que fazer,
Ir em frente, é o caminho a seguir, 
Que se espera e anseio conseguir,
Pois a vida sempre traz novidade,
Para toda e qualquer pessoa,
Não importa a sua idade.

Claudio Leite *** 10-04-2014

quarta-feira, 9 de abril de 2014

PEÇO PERDÃO

PEÇO PERDÃO

Fiquei a pensar,
Em tudo que falei,
Machuquei, mesmo sem querer,
De fato, pude ver.

A dor se mostrou e ficou evidente,
Seu silêncio é forte como um grito,
É um protesto que impacta docilmente,
Causando um incômodo que deixa aflito.

Bem sei o quanto ofendi e errei,
Deixei de ver, mesmo por um momento,
Que esta falha na visão,
Deprime, causa angústia e muito tormento.

Em tanto tempo, uma novidade,
Afetando nossa calma e tranquilidade,
Exigindo que eu venha reaprender,
A pensar antes para falar e responder.

Do que se deu pude perceber,
Que machuquei e a dor que causei,
Mesmo que essa não fosse à intenção,
Por tudo, eu peço teu perdão.


Claudio Leite ***09-04-2014

GIRIA

GIRIA 

Estava desligado,
Meio bolado,
Aí, rola um desafio,
C’um gíria, fazer poesia.
Pensei, é uma treta maneira,
Vou fazer com cuidado,
Pra num falar besteira,
Sei que é responsa, mas to ligado.
Nessa parada não pode dar bobeira,
Vi, algumas poesias, tudo de primeira,
Mas já que tô nessa, não tem cao,
Vou mandar meu recado, darei meu alo.
Por mais que se tente,
A gíria está presente,
No modo da gente falar.
É o modo de se comunicar,
Cada povo tem seu linguajar,
E contrariando um grupo seleto,
A periferia tem seu código, seu dialeto.
E nessa quebrada temos as gírias,
Trazendo uma modificação,
Usada pelas minorias,
Espalha-se pa toda população.

Claudio Leite *** 09-04-2014

segunda-feira, 7 de abril de 2014

AMOR INFANTIL

Amor Infantil
O meu primeiro amor,
Não aconteceu,
Pois só quem amou foi eu...

Um amor puro e irrealizado, bom de lembrar,
Fazia-me acordar cedo para vê-la passar,
Já sabia que ela passaria para escola, era só esperar.
Quando ela passava e cumprimentava,
O dia brilhava, se enchia de encanto,
Quando não a via era só dor e pranto.
Nem sei quanto tempo durou,
Mas sei bem como acabou,
A família mudou e ela não mais passou.
Claudio Leite ***08-04-2014

LIMITAÇÃO...


LIMITAÇÃO...

Estava eu a pensar,
Em seu equilíbrio e bom senso,
Seu modo de ser racional,
Que sabe discernir e separar,
O que é na vida um relacionamento,
 De qualquer outro pretenso envolvimento.

Neste momento detesto a racionalidade,
 O modo equilibrado de ser,
Toda ponderação, lucidez e qualidade,
O que afasta a possibilidade de se ter,
Um momento próximo e íntimo com você.

Reveja, se afasta, não desperte mais ilusão,
Não confunda um combalido coração,
Que espera descobrir e encontrar,
A essência, a forma concreta de poder amar.  

Oculte essa ofuscante fonte de luz,
Que o teu belo sorriso produz,
E que desorienta quem busca navegar,
Envolto e perdido na escuridão,
Em que se vê quem não aprendeu a amar.


Claudio Leite***07-04-2014

domingo, 6 de abril de 2014

L E M B R A N Ç A

L E M B R A N Ç A

Hoje eu acordei com vontade de chorar,
O dia de tom cinza parecia combinar,
O meu desânimo com minha vontade de partir,
Para um local inacessível, que não se possa ir.
É assim que me sinto, sem forças, sem coragem,
É o temor do que esta por vir, causa uma paralisia,
Deixando-me inerte, deixando-me imóvel e sem fala.
Tento não pensar,
Nos fatos que já vivi,
Nas pessoas que conheci
E com quem convivi.
O que significaram
E como me influenciaram,
No entanto, é um esforço inútil,
Pois, a toda hora,
Sou tomado por lembranças,
Das minhas andanças,
De coisas que fiz e que assisti,
Que vivi, até mesmo,
Das que me omiti e me escondi,
Que fingi não ser comigo,
Quando magoei um amigo,
Quando o deixei na mão,
 E Quando perdi meu amado irmão.
  
CLAUDIO LEITE*** 07-04-2014

 C. L. Nascimento 08-03-2014